David Foenkinos nasceu a 28 de Outubro, de 1974, em Paris. É um romancista, dramaturgo, argumentista e realizador Francês, irmão do realizador Stéphane Foenkinos.

Com os seus pais frequentemente ausentes e sem biblioteca, David Foenkinos lia e escrevia pouco durante a sua infância. Aos 16 anos, foi vítima de uma infecção pulmonar rara. Foi operado de emergência e passou vários meses no hospital. É na sua cama de convalescença que começa a devorar livros, a pintar e a tocar guitarra. Desta experiência, ele manteve um impulso de vida, uma força que ele quis transcrever nos seus livros.

Estudou Letras na Sorbonne e, paralelamente, Música numa escola de Jazz, o que o levou à profissão de professor de guitarra. À noite, era empregado de mesa num restaurante. Depois de tentar em vão montar uma banda de música, decidiu voltar-se para a escrita.

Depois de um punhado de manuscritos falhados, encontra o seu estilo, escreve o seu primeiro romance “Inversion de l’idiotie” recusado por todos os editores, excepto a Gallimard, que o publica em 2002, e com o qual obtém o prémio François-Mauriac.

Em 2014, com o seu romance “Charlotte”, David Foenkinos conhece a consagração. O livro é um grande sucesso de vendas com 450 mil exemplares vendidos.

 Obras literárias

  • Entre les oreilles, Gallimard, 2002
  • Le Potentiel érotique de ma femme, 2004
  • En cas de bonheur, 2005
  • Les Cœurs autonomes, 2006
  • Qui se souvient de David Foenkinos ? 2007.
  • Nos séparations, 2008
  • La Délicatesse, 2009
  • Lennon, 2010
  • Les Souvenirs2011
  • Je vais mieux, 2013
  • La Tête de l’emploi, 2014
  • Charlotte, 2014 ; version intégrale 2015
  • Le Mystère Henri Pick, Gallimard, 2016
  • Vers la beauté, 2018
  • Deux sœurs, 2019
  • La famille Martin, 2020