Música
Brief info

#ce7730

Historicamente Ghorwane é nome de um lago do Distrito de Chibuto, considerado milagroso porque nunca as suas águas desapareciam mesmo em tempos de seca. O nome do grupo é dado pelo membro fundador Pedro Langa, nascido na província de Gaza, Distrito de Chibuto.

Ghorwane, fundado em 1983, surge da fusão da Banda Xigutsa Vuma de Simeão Mazuze (Salimo Mohamad), depois do concurso musical da EME – Empresa de Entretenimento de Moçambique realizado naquele ano. Depois deste concurso, Ghorwane teve o privilégio de continuar a realizar os seus ensaios nestes Estúdios, que culminaram com a realização do concerto “Raízes, no Cine-África, em 1984. Esta foi a primeira aparição em público. Assim, começava uma trajectória que tornou o grupo na maior banda do país após a independência.

Ghorwane ganhou uma dimensão que ultrapassou todas as expectativas ao se tornar a banda Moçambicana mais conhecida em todo o país, na região e no mundo. Em 1985, o falecido Presidente Samora Machel chamou o Grupo de “Bons Rapazes” num gesto de reconhecimento do seu trabalho que era um exemplo de cidadania Moçambicana, identificando-se assim, com o grupo pela sua ousadia e frontalidade, chegando a convidá-los para actuarem no seu aniversário em 1986.

Seguiram-se inúmeras actuações dentro e fora do país e, em 1990, são convidados pelo conceituado músico Peter Gabriel a participar no Festival WOMAD, gravando se seguida o seu primeiro disco “Majurugenta”, nos Estúdios da Real World na Inglaterra sob auspício daquele músico.

Em 1993, o grupo segue para a Europa para a tournée do lançamento do disco “Majurugenta”. Em 1996, gravam o seu segundo disco com a Editora Piranha da Alemanha.

Ghorwane continua a ser um dos maiores grupos da região austral de África no activo e mais internacional de Moçambique, tendo-se apresentado em vários países africanos – África do Sul, Suazilândia, Zimbabué – e europeus – Portugal, Bélgica, Holanda, República Checa, Inglaterra, Alemanha, Áustria, Espanha, França – tendo passado também pela Coreia do Norte e Brasil.

 

Discografia:

• Majurugenta (1993)
• Não é preciso empurrar (Banda sonora) (1994)
• Kudumba (1997)
• Vana Va Ndota (2005)