2.ª Feira: 15h - 18h

3.ª a 6.ª Feira: 10h - 14h | 15h - 18h

Sábado: 10h - 14h | 17h nas noites de espectáculo

Mediateca

Sobre a mediateca

A Mediateca é um local de utilidade pública aberto a todos. Promove actividades voltadas para a cultura francesa e francófona e disponibiliza informação, treinamento e documentação.

Mediatecária

Victória Massingue
mediatheque@ccfmoz.com

Colecções e Equipamento
Livraria
Filmes
Computadores
Livros
Jogos
Consulta e Empréstimo de Documentos

O acesso e a consulta de documentos são livres e não requerem inscrição interna, excepto se quiser fazer consulta ao domicílio. O empréstimo de documentos para as consultas ao domicílio está sujeito à adesão ao Clube Cultural, renovável anualmente. Saiba aqui como aderir.

Consulta

O empréstimo é concedido individualmente e sob a responsabilidade do proprietário do cartão de membro, o qual deve estar actualizado. Cada membro tem direito ao empréstimo de dez (10) documentos de cada vez, durante três semanas. No caso de ser portador do cartão família, o acesso aos empréstimos será ilimitado.

CULTURETHÈQUE

Encontram-se disponíveis na Mediateca três tablets conectados à internet para que possa aceder ao portal Culturethèque. Esta plataforma disponibiliza diversos recursos franceses e francófonos para consulta, tais como livros, jornais, revistas, filmes e música.

Consulta

O serviço está disponível para todos os membros inscritos no Clube Cultural, mediante criação de uma conta no portal e posterior validação da Mediateca. Para mais informações dirija-se à Mediateca ou entre em contacto connosco através do nosso email.

Autor do mês

Todos os meses, neste espaço, damos-lhe a oportunidade de descobrir um autor e a sua obra literária.

Mongo Beti

Mongo Beti

Alexandre Biyidi Awala (Akométan, 30 de junho de 1932 — Douala, 8 de outubro de 2001), conhecido como Mongo Beti, foi um destacado escritor dos Camarões nascido a 30 de Junho de 1932. Mongo Beti era filho de Oscar Awala e Régine Alomo.
O seu pai afogou-se quando ele tinha sete anos, tendo sido criado pela sua mãe e familiares. Beti recorda discussões entre a sua mãe e o seu ai sobre religião e colonialismo, também recorda os seus primeiros contactos com as opiniões e análises do líder independentista Ruben Um Nyobe, tanto nas vilas como na própria casa de Nyobe. Mongo levou estas ideias à escola, o que conduziu a que finalmente fosse expulso da escola missionária em Mbalmayo pelas suas expressões. Em 1945 ingressou no liceu Leclerc em Yaoundé. Depois de formar-se em 1951, viaja para França para continuar sua formação superior em literatura, primeiro em Aix-em-Provence e posteriormente na Sorbone em Paris.

Após um período de estudos universitários, começou a publicar as suas obras, que se caracterizam por um relato incisivo das condições de seu país, de maneira que sua novela “Le Pauvre Christ de Bomba”, (1956) (em português: “O Cristo Pobre de Bomba”) foi proibida nos Camarões. Entre suas novelas encontra-se “Remember Ruben” (1974), que cedo se converteu num clássico da literatura da África negra.
Beti viveu no exílio por muitos anos, a sua vida mostra uma dedicação e interesse muito forte na contribuição para melhorar o seu país natal. Tal como expressou um crítico depois de seu falecimento, “A senda militante deste ensaísta, cronista e novelista tem estado governada por uma obsessão: a luta pela dignidade dos povos africanos.”
Desde muito jovem, Beti foi influenciado pelas correntes de rebelião que atravessavam a África muito próximo da Segunda Guerra Mundial.

 Obras publicadas

Sans haine et sans amour, 1953.

Ville cruelle, 1954

Lhe Pauvre Christ de Bomba – 1956

Mission terminée – 1957

Lhe Roi miraculé: chronique dês Essazam – 1958

Main basse sul lhe Cameroun: autopsie d’une décolonisation – 1972

Lhes Procès du Cameroun: autopsie d’une décolonisation, 1972.

Perpétue et l’habitude du malheur, 1974.

Remember Ruben, 1974.

Peuples noirs, peuples africains, 1978.

A Ruine presque cocasse d’um polichinelle : Remember Ruben 2, 1979.

Lhes Langues africaines et lhe Néo-colonialisme em Afrique francophone, 1982.

Lhes Deux Mères de Guillaume Ismaël Dzewatama, futur camionneur, 1983.
A Revanche de Guillaume Ismael Dzewatama, 1984.

Lettre ouverte aux Camerounais, ou, A deuxième mort de Ruben Um Nyobé, 1986.
Dictionnaire da négritude avec Odile Tobner et a participation de collab. revue

Peuples noirs – Peuples africains – 1989

A França contre l’Afrique: retour au Cameroun – 1993

L’Histoire du fou – 1994.

Trop de soleil tue l’amour, 1999

ENCONTROS DA MEDIATECA

São sessões animadas em francês e em português que o CCFM e a Mediateca propõem para o público em geral de forma gratuita com excepções de alguns eventos especiais, onde os utentes podem descobrir o fundo que compõe a Mediateca a partir de: autores, artistas, realizadores de filmes, títulos de livros bem como discutir assuntos da actualidade em francês, para desenvolver a expressão oral.

De acesso gratuito, acontece todas as quintas-feiras, a partir das 16h. É dirigido a todos os falantes da língua francesa e, em particular, a todos os estudantes de francês que queiram melhorar a sua expressão oral.

Para tornar o espaço jovem da Mediateca mais dinâmico, em 2013 nasceram “Os Sábados das Crianças”, uma iniciativa de entretenimento para os mais pequenos. Todos os sábados, a partir das 10h30, propomos actividades animadas que variam desde visitas às exposições, leitura de contos infantis, cinema e muito mais, para crianças entre os 3 e os 10 anos de idade. Em alguns sábados do mês, uma sessão especial de cinema ou espectáculo está reservada para as crianças e os seus pais ou acompanhantes, dentro do auditório.

Mensalmente, conversamos de forma descontraída na Mediateca com os artistas que se fazem presentes no CCFM, vindos de diferentes partes do mundo. Desta forma, a Mediateca convida-o a descobrir um artista, uma arte, e/ou uma profissão e assim colher novas experiências.

A Nossa livraria

Desde 2017, a Mediateca dispõe de um espaço venda de livros. Este espaço é composto por uma colecção de livros em português e de escritores moçambicanos, fornecidos pelas editoras locais. Possui também livros da colecção “Regards Croisés”, que são teses de doutoramento com temas do nosso país tais como: “A Luta Continua, 40 Anos Depois: Histórias Entrelaçadas da África Austral” – de Caio Simões de Araújo; “A Política de Trabalho de Campo” – de Jean-Pierre Olivier de Sardan; “Ilha de Moçambique, Uma Herança Ambígua”- de Severine Cachat; “Os Deslocados de Guerra em Maputo, Percursos, Citadinização e Transformações Urbanas da Capital Moçambicana” – de Jeanne Vivet, e muitos outros.

Visite-nos e adquira o seu livro nos horários normais de abertura da Mediateca ou faça a sua reserva pelo endereço electrónico – mediatheque@ccfmoz.com – ou pelos contactos telefónicos (+258) 21 314 590 / 82 301 800 0.

Ilha de Moçambique – Uma Herança Ambígua

Séverine Cachat – Tese de Doutoramento

650 Mt

A Política de Trabalho de Campo

Jean-Pierre Olivier de Sardan – Tese de Doutoramento

300 Mt

A Luta Continua, 40 Anos Depois

Caio Simões de Araújo – Tese de Doutoramento

500 Mt

Escritas Urbanas

Béatrice Fraenkel, César Cumbe e Francesca Cozzolini – Tese de Doutoramento

800 Mt

Kwiri

Roberto Chitsondzo – Música – Livro CD

1800 Mt

Kudumba: Uma Plataforma de Preservação da Língua

Cremildo Bahule – Sociolinguística e Etnomusicologia

800 Mt

Os Deslocados de Guerra em Maputo

Jeanne Vivet – Tese de Doutoramento

750 Mt

Dicionário de Particularidades Lexicais e Morfossintácticas da Expressão Literária em Português – Vol. 1

Michel Laban – Dicionário

2000 Mt

Dicionário de Particularidades Lexicais e Morfossintácticas da Expressão Literária em Português – Vol. 2

Michel Laban – Dicionário

2000 Mt

Renegociar a Centralidade do Estado em Moçambique: Municipalização na Beira, Mueda e em Quissico

Egídio Guambe – Tese

1500 Mt

Kok Nam, o Homem por Detrás da Câmara

Nam Kok, Teresa Noronha e António Cabrita – Fotografia

400 Mt